Após escândalo de doping, COI tira Rússia dos Jogos de Inverno

Valeria Vaz
6 Dezembro, 2017

O COI deve decidir ainda nesta terça-feira o nível da participação russa na Olimpíada de Inverno de Pyeongchang de 2018; já que os pedidos para que o país seja barrado devido às suspeitas de doping com patrocínio estatal aumentaram.

Apesar da decisão, o presidente do COI, Thomas Bach, deixou bem claro que não tinha qualquer intenção de prejudicar atletas inocentes e como tal irá permitir a participação de atletas russos, mediante certas condições, e que irão competir sob a bandeira Olímpica.

A decisão do COI foi anunciada nesta terça-feira, 5, a 66 dias do início da competição.

O COI segue assim, dois anos depois, o exemplo dado pela Federação Internacional de Atletismo (Iaaf), que suspendeu a federação russa em 13 de novembro de 2015 após a revelação de um esquema de doping acobertado pelas autoridades russas no atletismo.

- Este é um ataque sem precedentes a integridade dos Jogos Olímpicos e do esporte.

A segunda parte do designado relatório McLaren, publicado em dezembro de 2016, concluiu pela existência de "manipulação sistemática e centralizada de controlos antidoping".

A exclusão da Rússia foi atribuída às denúncias de supostos casos de doping envolvendo o país e seus atletas olímpicos. Atualmente, Mutko é chefe do comité organizador local do Campeonato do Mundo de 2018, presidente da federação russa de futebol e vice-primeiro ministro do país. Zhukov disse que os atletas russos vão recorrer à Corte Arbitral do Esporte contra a decisão do COI, segundo a agência de notícias R-Sport.

O afastamento da Rússia dos Jogos Olímpicos de Inverno é anunciado ao fim de ano e meio de inquéritos conduzidos por duas comissões presididas pelos suíços Denis Oswald e Samuel Schmid.

Esta decisão coloca o presidente russo, Vladimir Putin, em posição complicada a três meses das eleições presidenciais no país, tendo que escolher entre a humilhação e o boicote.

- Pretendemos defender os interesses de nossos atletas, da Federação Russa; continuar comprometidos com os ideais do olimpismo e preservar todos os laços com o COI; e por meio destes laços os problemas que têm surgido serão resolvidos - disse Peskov aos repórteres em uma videoconferência.

Além de Mutko, o presidente do Comitê Olímpico russo, Alexander Zhukhov, também foi suspenso ontem.

"Um boicote nunca resolveu nada", lembrou Bach, que, em nota, comentou a punição.

Os primeiros sinais de um endurecimento de tom do COI foram enviados ao longo do mês de novembro pela Comissão Schmid, que desclassificou 25 atletas russos dos Jogos de Sochi-2014, anulando um terço das medalhas russas conquistadas no evento, quatro delas de ouro.

Mais artigos por OlimpiaDasRio

Deixe um comentário sobre o artigo

Ação