Reforma tem que ser feita agora ou no início de 2018 — Meirelles

Valeria Vaz
5 Dezembro, 2017

Em encontro com Temer há duas semanas, Maia tinha combinado com o governo tentar por a reforma em votação na próxima quarta-feira.

De acordo com o parlamentar, os governistas podem de forma organizada ter condições de trabalhar a votação da reforma da previdência. Um pouco antes, em discurso durante evento no Rio, ele contou que teve uma reunião produtiva sobre a reforma neste domingo com parlamentares na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Nesta quinta-feira (30), a Justiça Federal determinou a suspensão imediata de todos os anúncios da campanha "Combate aos Privilégios", elaborada pelo governo para defender a reforma da Previdência. Ele disse que, apesar das resistências sobre o tema, os brasileiros de menor renda já estão se aposentando por idade e que a camada mais pobre da população se beneficiará com as novas regras, porque terão acesso à aposentadoria mais cedo.

"A gente sabe que está muito distante dos 308 votos (necessários à aprovação), mas também que a única forma de melhorar a questão da segurança é reformar o Estado".

Segundo uma fonte palaciana, os dirigentes de partidos vão se reunir nesta quarta-feira mais una vez, em novo jantar, para conversar sobre o apoio dos deputados à proposta e se eles são suficientes para colocar o texto em votação, em primeiro turno, na quarta-feira da próxima semana, dia 13.

"Fizemos uma reunião com os partidos da base". O Planalto também admite estar com dificuldades para garantir apoios consistentes no PR e no PSD, dois partidos do centrão.

"Otimista não dá ainda para ser otimista. Acho que a gente tem um caminho", disse Rodrigo Maia.

Mais artigos por OlimpiaDasRio

Deixe um comentário sobre o artigo

Ação