Eurogrupo: Mário Centeno escolhido entre "quatro candidatos excelentes"

Valeria Vaz
5 Dezembro, 2017

"Depois de duas rondas, Mário Centeno foi escolhido", acrescentou, desejando ao seu sucessor felicidades no cargo. "Não é assim", garantiu, acrescentando que "a zona euro é formada por 19, nós somos parte dos 19 e queremos ser parte ativa das decisões".

Durante a conferência, Centeno recusou responder se acha que este novo cargo pode colocar em causa a continuidade da "geringonça", devido às posições de PCP e BE sobre a UE e o euro.

Começou por enviar um abraço de estima pessoal a Centeno e seguiu dizendo que esta era uma vitória que devia ser partilhada com os portugueses, pois "significa claramente o reconhecimento da credibilidade internacional de Portugal numa área tão sensível, por onde passámos com tantos sacrifícios".

"O problema não está no presidente, mas nas políticas impostas pelo Eurogrupo, que continua a ser um instrumento da União Europeia para pressionar os países a reduzirem de forma cega os défices orçamentais", disse à agência Lusa o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, a propósito da eleição do ministro Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo.

Pouco após Centeno ter sido eleito o terceiro presidente da história do fórum de ministros das Finanças da zona euro, o presidente da Comissão publicou no Twitter uma mensagem de "calorosas felicitações" e a carta que dirigiu ao presidente eleito do Eurogrupo.

Ao lado do ainda presidente do fórum de ministros das Finanças da zona euro, Jeroen Dijsselbloem, do comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, e do diretor do Mecanismo Europeu de Estabilidade, Klaus Regling, Mário Centeno agradeceu aos seus colegas, "em particular" aos seus concorrentes na eleição, o luxemburguês Pierre Gramegna, a letã Dana Reizniece-Ozola e o eslovaco Peter Kazimir, por "uma corrida justa e muito democrática".

Centeno é o novo presidente do Eurogrupo. "Estou certo de que o ministro Centeno possui todas as qualidades necessárias para assumir tão importante responsabilidade e desejo-lhe os maiores êxitos nas suas novas funções", escreve Jean-Claude Juncker.

A eleição aconteceu à segunda volta e ocorreu apenas entre Mário Centeno e o luxemburguês Pierre Gramegna, após o eslovaco Peter Kazimir e a candidata letã, Dana Reizniece-Ozola, terem abdicado. "Tivemos quatro candidatos excelentes", disse o ainda presidente do Eurogrupo. "Poderás contar com o meu forte apoio e também com o da Comissão", disse. A reunião seguinte do Eurogrupo, agendada para 22 de janeiro, será já presidida pelo ministro português.

Mais artigos por OlimpiaDasRio

Deixe um comentário sobre o artigo

Ação