Centeno, o favorito da Finantial Times, é candidato ao Eurogrupo

Valeria Vaz
2 Декабря, 2017

Diz o jornal Expresso, que cita o Financial Times, que da conversa entre os dois, o favoritismo recaiu em Mário Centeno, uma vez que o candidato italiano irá a eleições em maio próximo.

O ex-ministro frisou que "a democracia é escolha" mas, quando os países são confrontados com recomendações "que tentam explicar que não há escolhas porque não há alternativas, então não há democracia".

"Caso fique com o cargo, a nomeação de Centeno suplantaria a reabilitação de Portugal de nação resgatada para aluno exemplar da zona euro".

Quem também deverá entrar na corrida é Dana Ozola, a ministra das Finanças da Letónia.

O Eurogrupo teve, segundo a líder comunista, "responsabilidades muito grandes por várias crises" na Europa, como a de Portugal.

Fonte do PSE disse à agência Lusa que, em relação à eleição de segunda-feira para a presidência do Eurogrupo, o ministro das Finanças português terá já "um apoio maioritário" entre os 19 Estados-membros que integram a zona euro.

Centeno, 50 anos, natural de Olhão, Algarve, é ministro das Finanças desde 26 de novembro de 2015 e é apontado pela generalidade da imprensa internacional como o grande favorito ao cargo, depois de ter sido o "eleito" entre os grandes candidatos dos Socialistas Europeus, a família política com mais possibilidades de garantir (neste caso, manter) o posto até agora ocupado pelo holandês Jeroen Dijsselbloem.

Segundo os seus amigos mais próximos, Centeno gosta de choquinhos fritos com tinta, o que considera uma das especialidades gastronómicas tipicamente algarvias, que ele próprio gosta de cozinhar.

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, salientou hoje que a candidatura portuguesa à presidência do Eurogrupo procura estabelecer consensos e "reunir todos" à volta dos desafios que a moeda única europeia enfrenta e das reformas de que precisa.

Mais artigos por

Deixe um comentário sobre o artigo

Ação

O último é de

Outras notícias