Robinho é condenado a nove anos de prisão por estupro coletivo

Abelardo Nogueira
24 Ноября, 2017

Divulgação Segundo jornal italiano La Gazzetta Dello Sport, o atacante do Atlético-MG, Robinho, foi condenado a nove anos pela nona secção do Tribunal de Milão, por suposto crime de violência sexual contra uma jovem albanesa de 22 anos. Atualmente como atacante do Atlético-MG, na época do ocorrido, Robinho era do Milan. Em 2009, o jogador foi acusado por uma jovem de abuso sexual numa boate em Leeds, no norte da Inglaterra. O jogador nega as acusações.

"Diante das informações envolvendo o jogador de futebol Robson de Souza (Robinho), noticiadas irresponsavelmente hoje nos meios de comunicações da Itália, e replicadas no Brasil sem qualquer apuração quanto à sua veracidade, Robinho afirma que não tem qualquer participação no episódio mencionado".

De acordo com a investigação, o ato foi cometido por Robinho e outras 05 pessoas. O caso aconteceu em 2013, em uma discoteca de Milão.

No seu depoimento, revelou que depois de as suas amigas terem deixado o local, o grupo de homens lhe ofereceu bebida até deixá-la inconsciente, anulando assim a sua capacidade de resistir à violação. Segundo o portal, a denúncia foi feita tempos depois.

Robinho foi chamado a depor em 2014 sobre este caso. O Ministério Público chegou a pedir a prisão de Robinho, mas o pedido foi negado judicialmente. Segundo ela, não havia razão para a precaução, nem risco de reincidência, fuga ou supressão de provas. Além disso, afirma que as providências já estão sendo tomadas.

"Robinho lamenta o episódio, que é levantado sem qualquer fundamento, justamente em um período que atravessa uma boa fase profissional, pessoal e familiar", disse o comunicado desta quinta.

Segundo informações da imprensa italiana, a decisão é colocada em espera para que o processo seja finalizado. "Ele agradece a todos que torcem por ele, que conhecem sua índole e, portanto, sabem que jamais cometeria tal ato".

Mais artigos por

Deixe um comentário sobre o artigo

Ação

O último é de

Outras notícias