Salvador: "Que os árbitros tenham coragem de parar nos jogos dos grandes"

Abelardo Nogueira
23 Ноября, 2017

Neste encontro do G-15, apelidado como um "momento de viragem" por António Salvador, debateram-se vários temas relacionados com a arbitragem e o sistema de vídeo-árbitro, mas também outras questões como a proibição dos empréstimos entre clubes do mesmo escalão, segurança nos estádios, promoção da competição e dos jogadores ou alterações de estatutos para reformulação da direção da Liga, entre outros. No final de uma reunião do G15 no Porto, António Salvador, líder do Sporting de Braga, deixou um desafio aos árbitros: "Que tenham coragem de parar os jogos dos três grandes".

A próxima jornada da I Liga está mesmo em risco de não se realizar, 63 dos 66 árbitros profissionais enviado para o Conselho de Arbitragem pedidos de dispensa dos jogos deste fim-de-semana - existem ainda 10 estagiários.

Perante a ameaça de uma paragem nos próximos jogos, os dirigentes dos clubes da 1.ª Liga pedem "bom senso" aos árbitros.

O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, o seu homólogo do Sporting de Braga, foram os únicos a falar aos jornalistas que esperaram à porta do hotel pelo final do encontro. "São eles que têm feito este ambiente", sublinhou o dirigente minhoto.

Discurso semelhante teve Álvaro Braga Júnior, do Boavista: "Não vamos ter jornadas paradas, nem o ridículo de ir buscar árbitros à bancada".

Dirigentes de 15 clubes da primeira divisão do futebol português apelaram ao "bom senso" dos árbitros, acreditando que a greve acabara por ser levantada.

O primeiro encontro teve lugar esta terça-feira, sem a presença de quatro clubes, entre os quais o Vitória e Moreirense, além de Vitória de Setúbal (o presidente, Fernando Oliveira, demitiu-se hoje) e Portimonense.

António Salvador, presidente do Sporting de Braga, corroborou essa ideia, defendendo que a reunião hoje realizada não foi "contra ninguém, mas sim contra o estado atual do futebol português", embora deixando uma mensagem aos ditos 'grandes'. "É preciso que seja feito um debate profundo com todos", afirmou o líder do emblema bracarense. O estado do futebol português é preocupante.

Mais artigos por

Deixe um comentário sobre o artigo

Ação

O último é de

Outras notícias