Primeiro asteroide de outra estrela deslumbra cientistas

Eugenio Paiva
23 Novembro, 2017

Oumuamua significa "um mensageiro de longe chegando primeiro" no idioma havaiano.

Ele foi descoberto em 19 de outubro, e sua velocidade e trajetória sugerem que se originou em um sistema planetário que orbita ao redor de outra estrela, e não o Sol.

Segundo a pesquisa, ele é rochoso, tem tons vermelhos e uma forma alongada de cerca de 400 metros - maior do que qualquer asteroide ou cometa já detectados no nosso Sistema Solar.

Em meados de outubro, os astrónomos detetaram um objeto "incomum" a passar pelo nosso sistema solar e logo na altura, pelo seu "comportamento" suspeitaram estar perante algo inédito: a visita do primeiro "objeto interestrelar".

A presença de um objeto não identificado que atravessava nosso sistema solar recentemente provocou um apelo à ação de observatórios em todo o mundo. E varia muito em brilho: "por um fator de 10 como gira em seu eixo a cada 7,3 horas".

"Nossa margem de erro é muito pequena, então estamos confiantes de que ele é muito alongado", diz Meech.

Alguns dos grandes telescópios terrestres da Terra seguem rastreando 'Oumuamua. Pode ser comparado a um charuto, por exemplo.

Estas propriedades sugerem que o Oumuamua é denso e é formado por rochas e possivelmente também por metais. Provavelmente, adquiriu sua cor depois de ser bombardeado por raios cósmicos de alta energia durante milhões de anos. De acordo com a reconstrução de sua rota feita pelos astrônomos, ele se aproximou do Sistema Solar diretamente "acima" da eclíptica, o plano no espaço onde os planetas e a grande maioria dos asteroides orbita o Sol, da direção da estrela Vega, na constelação da Lira, a uma velocidade relativa de cerca de 92 mil quilômetros por hora. O administrador associado da Direcção da Missão da Ciência da NASA, Thomas Zurbuchen, disse em um comunicado de imprensa de 20 de novembro: "Durante décadas, teorizamos que tais objetos interestelares estão por aí, e agora - pela primeira vez - temos provas diretas de que existem". O interestelar já é considerado pelos cientistas um dos objetos mais alongados já visto até hoje e abriu uma janela para o estudo da formação de sistemas solares para além do nosso. "Também descobrimos que tinha uma cor avermelhada, semelhante aos objetos no sistema solar externo", confirmando ainda que "é completamente inerte, sem a menor sugestão de poeira ao redor".

Ou seja: esse visitante interestelar pode ser a primeira evidência desse processo. "Ainda assim, as peças seriam mais longas que a maioria das coisas observadas no Sistema Solar, e nossa análise mostra que (o Oumuamua) está rotacionando rápido o suficiente para que essas peças não continuassem grudadas".

Mais artigos por OlimpiaDasRio

Deixe um comentário sobre o artigo

Ação