Rússia suspende importação de carnes bovina e suína do Brasil

Eugenio Paiva
22 Novembro, 2017

O ministério reiterou ainda que até o momento não recebeu por parte do governo russo nenhuma notificação de suspensão das carnes bovina e suína brasileira, diferentemente do que afirmou a agência de segurança alimentar da Rússia. O motivo apontado foi a existência do melhorador de crescimento ractopamina em amostras de carnes da JBS e BRF.

"Toda a suspensão de exportação tem impacto econômico".

A Rússia é uma grande importadora de carne brasileira.

- Para o Brasil e muitos países, a ractopamina é permitida. Hong Kong, China e Egito ficaram à frente.

Ele ressaltou que o Ministério da Agricultura brasileiro controla o uso desta substância na carne exportada pelas empresas brasileiras. Por isso as agroindústrias fazem produção separada para atender quem não aceita o produto, como são os casos da Rússia e China.

O Ministério da Agricultura confirmou nesta terça-feira, 21, que técnicos do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) conversaram nesta mesma data por videoconferência com integrantes do Rosselkhoznadzor, o Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia, sobre "a presença de ractopamina na carne suína brasileira exportada para aquele país".

Na semana passada, a Rússia disse que estava considerando uma proibição de todas as importações de carnes suína e bovina do Brasil, após encontrar o aditivo ractopamina em alguns carregamentos, alegação que grupos setoriais da área de carnes do Brasil negaram.

As agroindústrias associadas à ABPA respeitam a legislação sanitária da Rússia e dos demais mercados com os mesmos critérios, e subsidiarão o MAPA com as informações dos pontos que se façam necessários.

Mais artigos por OlimpiaDasRio

Deixe um comentário sobre o artigo

Ação