Bruxelas põe défice português acima do valor do Governo

Eugenio Alvim
10 Ноября, 2017

O Governo diz que vai reduzir o défice estrutural em 0,5% do PIB em 2018.

Nas previsões de Outono dadas a conhecer esta quinta-feira, a Comissão Europeia reviu em alta as previsões de crescimento e alinhou-as para a acompanhar as do Governo, tal como já tinha feito em maio, mas as previsões para o défice do próximo ano não são tão otimistas.

Para 2017, o executivo comunitário antecipa que a redução do défice dos 2% em 2016 para os 1,4% este ano "se deve sobretudo à recuperação económica, à queda da despesa com juros e ao investimento público abaixo do orçamentado".

Já sobre o défice de 2018, Bruxelas mantém-se mais conservadora do que o Governo e aponta para um défice de 1,4%, superior ao 1% de Mário Centeno.

Se o Governo está "tranquilo", o Presidente da República também parece estar, já que não prevê "problemas" com a Comissão Europeia relativamente ao Orçamento do Estado.

Nas projeções económicas publicadas hoje, Bruxelas revê em baixa as previsões para o défice orçamental tanto para 2017 como para 2018, antecipando que este indicador fique nos 1,4% em cada ano, o que compara com a anterior projeção de défices de 1,8% e de 1,9%, respetivamente.

"A Comissão Europeia e o Governo têm trabalhado no sentido de serem esclarecidas todas as questões que foram colocadas na carta dirigida ao Governo português. Ainda assim a trajetória é muito positiva", afirmou.

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, considerou hoje que a melhoria das previsões de crescimento da economia portuguesa por parte da Comissão Europeia vai ajudar o Governo a "preparar um ano de 2018 forte".

Sobre isso, Pierre Moscovici nada disse, remetendo uma decisão para quando a Comissão divulgar as opiniões sobre os Orçamentos dos países do euro, algo que só acontece daqui a duas semanas.

Mais artigos por

Deixe um comentário sobre o artigo

Ação

O último é de

Outras notícias